Fechar
Muito além dos livros de história

Muito além dos livros de história

Muito além dos livros de história: obra introduz panorama social e cultural da África. Livro História da África, de José Rivair Macedo, busca fugir de estereótipos e estigmas apresentados a partir da visão europeia.

Desde 2003, tornou-se obrigatório o estudo da História e cultura africana e dos afrodescendentes no ensino fundamental e médio. No entanto, ainda hoje, educadores e estudantes possuem dificuldades para encontrar materiais publicados que abordam temáticas sobre o continente africano. 

Lançada em 2014 pela Editora Contexto, a obra História da África, de José Rivair Macedo, oferece um grande material didático sobre a relevância e panorâma histórico e social da África. Neste livro memorável, o autor busca ir além dos estereótipos e tradição construída a partir de referências europeias. 

“Como ocorre com as demais obras da coleção da qual este livro faz parte, evitar-se-á inserir no texto as referências acadêmicas e as controvérsias historiográficas da africanologia, que não são poucas. O leitor que pretender ir adiante poderá consultar com proveito as orientações de leitura apresentadas ao fim de cada capítulo, em que constam obras obrigatórias para o aprofundamento dos assuntos respectivamente tratados”, escreveu José Rivair Macedo na introdução da obra. 

Por meio de uma análise minuciosa, o autor é capaz de fornecer uma leitura que respeita as diferenças e peculiaridades sociais, culturais e históricas dentre a variedade de povos existentes no continente africano.

“De uma ponta a outra do livro, a ênfase recairá nas várias formas pelas quais as sociedades africanas produziram as condições materiais de sua existência, de acordo com as necessidades inerentes aos diferentes ambientes em que se desenvolveram, ou dos contatos que estabeleceram entre si e com outros povos”, acrescentou José Rivair Macedo.

Disponível no site da Editora, o livro História da África é essencial para avançar nos estudos sobre as diferentes realidades do continente africano, sendo de extrema importância para compreender como no Brasil — um dos maiores detentores da maior parcela da população afrodescendente do mundo — ainda hoje, sofre com a falta de informação e racismo estrutural. 

Confira um trecho da História da África (2014):

“A África é a porção continental mais antiga do planeta, onde a superfície terrestre ganhou os contornos que mantém até o presente. É um continente com enorme extensão territorial, 30.343.511 km 2 , que equivale a 22% da superfície da Terra. 

Cercado por grandes volumes de água dos oceanos Índico e Atlântico, dos mares Vermelho e Mediterrâneo, em sua superfície estão as mais impressionantes reservas naturais, com enorme variação ambiental e humana.

A formação geológica da superfície africana remonta provavelmente ao período situado entre 3,6 bilhões e 300 milhões de anos, quando se consolidaram e se formaram a cordilheira do Cabo Fold Belt, na África do Sul, e os Montes Atlas, no Marrocos, na extremidade norte do continente.

A extrema longevidade na evolução planetária explica um aspecto particular do ambiente natural do continente africano que teve e continua a ter consequências importantes para as populações que o habitam. A antiguidade de sua formação geológica produziu diversas massas rochosas conhecidas como cratões, que ocupam mais da metade de sua superfície, e abrigam formações minerais riquíssimas e antiquíssimas”.

ObrigaHISTÓRIA: História da África, de José Rivair Macedo

Fonte: Aventuras na História