Fechar
Eleição do Senado: Davi, Golias e curiosidades | Dad Squarisi
Xô, dúvida!

Eleição do Senado: Davi, Golias e curiosidades | Dad Squarisi

A eleição da presidência do Senado foi uma guerra. Vários postulantes se candidataram. Mas dois sobressaíram. De um lado, o quatro vezes presidente Renan Calheiros. De outro, Davi Alcolumbre. No discurso, Renan lembrou a história bíblica de Davi contra Golias. Conhece?

O gigante Golias era gigante mesmo. Tinha 3 metros de altura. Fortão, usava armadura e capacete de ferro. Carregava um escudo pra proteção, uma espada e uma lança que pesava seis quilos. Todos tremiam de medo dele. Com razão. O brutamontes vencia as lutas sem esforço. Depois, humilhava os derrotados.

Um dia, os filisteus, povo de Golias, declararam guerra a Israel. Golias desafiou Israel em voz alta a apresentar um homem que lutasse sozinho contra ele. Cadê coragem? Durante 40 dias ele repetiu a provocação. Até que um pastor reagiu. Era Davi. O gigante morreu de rir do jovem. E avançou contra ele.

Bobeou. O rapazinho meteu a mão na sacola a tiracolo, pegou uma pedra e a pôs na funda. Girou e lá foi ela. A pedra se cravou entre os olhos do valentão. Ele caiu e morreu. Davi virou herói. Mais tarde, tornou-se rei de Israel. Durante o reinado, construiu uma cidade magnífica. É Jerusalém.  

CURIOSIDADES

Regionalismos

Os gaúchos chamam estilingue de funda. Os paraibanos, de baladeira. Em outros lugares, atiradeira.  

A Bíblia

A história de Davi e Golias está na Bíblia. Em grego, bíblia quer dizer livro. Por isso, o lugar onde se guardam os livros se chama biblioteca.  

Arte

Davi inspirou muitos artistas. Um deles foi o italiano Michelangelo, que viveu no século 16. Ele esculpiu obras-primas do Renascimento. Davi é uma delas.  

Herói

Herói termina em ói. Por isso ganha acento. Outras palavras jogam no time da duplinha ói: constrói, corrói, dodói, dói.

Fonte: Blog da Dad


Dad Squarisi transita com desenvoltura pelo universo da língua. É editora de Opinião do Correio Braziliense, comentarista da TV Brasília, blogueira, articulista e escritora. Assina as colunas Dicas de Português e Diquinhas de Português, publicadas por jornais de norte a sul do país; Com Todas as Letras, na revista Agitação, e Língua Afiada, na Revista do Ministério Público de Pernambuco. Formada em Letras, com especialização em Linguística e mestrado em Teoria da Literatura, concentra o interesse, sobretudo, na redação profissional – o jeitinho de dizer de cada especialidade, cada grupo, cada mídia. Mas é tudo português. A experiência como professora do Instituto Rio Branco, consultora legislativa do Senado Federal e jornalista do Correio Braziliense iluminou o caminho dos livros Dicas da Dad – Português com humor, Mais dicas da Dad – Português com humor, A arte de escrever bem, Escrever melhor (com Arlete Salvador), Redação para concursos e vestibulares (com Célia Curto), Como escrever na internet, 1001 dicas de português – manual descomplicado, Sete pecados da língua, publicados pela Contexto, além de Superdicas de ortografia, Manual de redação e estilo para mídias convergentes, dos Diários Associados, e de livros infantis – de mitologia e fábulas.