Fechar
Riscos e oportunidades no novo milênio

Riscos e oportunidades no novo milênio

Meu tempo é o século XX. Nunca antes na história humana houve tantas inovações e transformações, mas esse também foi o século mais sangrento e destrutivo de todos os tempos.

A coruja de Minerva somente alça voo ao cair da tarde, disse Hegel. Agora, a ave da deusa romana está pousada no topo da cerca, à espera de que a tarde chegue ao seu término, mas a sabedoria de Minerva ainda tremula.

Meu tempo é o século XX. Nunca antes na história humana houve tantas inovações e transformações, mas esse também foi o século mais sangrento e destrutivo de todos os tempos.

A genética chega ao íntimo dos microscópicos segmentos que compõem a vida dos seres animados. As distâncias se encurtam com os voos que contornam o planeta e os meios eletrônicos que levam à informação quase instantânea. A vida humana estende a sua duração, e o sofrimento e a dor são dominados pelos avanços das ciências médicas.

Novas tecnologias e materiais levam à disseminação de ferramentas que transformam o modo de viver e trabalhar. A nova Física molda a visão do universo e de concepções do espaço e do tempo antes inconcebíveis. A fixidez se transforma em relatividade. A incerteza se torna uma lei universal.

Novas tecnologias e materiais levam à disseminação de ferramentas que transformam o modo de viver e trabalhar. A nova Física molda a visão do universo
e de concepções do espaço e do tempo antes inconcebíveis. A fixidez se transforma em relatividade. A incerteza se torna uma lei universal.

E, talvez, mais que tudo, há o computador, cuja velocidade, complexidade e abrangência podem significar uma diferença na forma de vida do Homo sapiens. A tecnologia da informação será o motor de uma nova etapa na evolução dos humanos.

O século XX terminou e o novo século XXI está agora sob a responsabilidade de vocês. O viajante carrega seu próprio espaço e tempo. O progresso exponencial
da ciência e tecnologia deve, então, transferir sua potência ao bem-estar da sociedade como um todo.

Ao mesmo tempo, o avanço do desenvolvimento tecnológico deste século deve ser cauteloso e equilibrado, devido aos riscos que o planeta pode sofrer caso alguma poderosa tecnologia seja impulsionada para o caminho errado. Por isso, devemos mapear o novo tempo, com suas opções e riscos.

Escolhi três temas que me parecem cruciais para as gerações que ainda virão. São eles: a superinteligência, a genética e a inserção cósmica.

Convido, então, os filósofos e os cientistas para deles se ocuparem, e o leitor para me acompanhar nesta jornada.


Boris Tabacof formou-se em Engenharia Civil pela Escola Politécnica da Universidade da Bahia. Participou de intensa atividade pública, tendo sido Secretário da Fazenda do Estado da Bahia. Transferiu-se para São Paulo, onde atuou como alto executivo nas áreas bancária e industrial, participando na direção de entidades representativas dos empresários.