Fechar
Os Canadenses | Lançamento

Os Canadenses | Lançamento

Os Canadenses | Lançamento

Brasileiros, quando pensam no Canadá, vislumbram uma terra de gelo e neve, com rios e lagos repletos de salmões saltitantes, além de ursos e castores. Um lugar de florestas muito frias, imensas massas verdes que se estendem até o horizonte e terminam em geleiras. Um país de cidades limpas, organizadas e seguras, com policiais educados dando orientações aos transeuntes perdidos… E os canadenses? Em princípio, muita gente aqui acha que os conhece também. Um povo educado e polido ao extremo, vivendo uma vida confortável, mas encolhido nos seus capotes e botas para enfrentar o frio extremo. “Ah, se não fosse o frio, eu me mudaria já para o Canadá! Um lugar civilizado, quase perfeito, sem violência ou corrupção, com alta qualidade de vida… um sonho!”

Essas imagens não são completamente verdadeiras, nem totalmente falsas. Os canadenses são herdeiros de uma história diferente e construíram uma sociedade bem diferente da brasileira. Eles não precisaram fazer uma revolução para garantir a sua independência, obtida em negociações; ainda são súditos da rainha da Inglaterra e não compartilham o liberalismo econômico “cruel” dos seus vizinhos estadunidenses. Eles nunca tiveram escravidão em larga escala nem guerras civis, e mesmo a violência contra os povos nativos, da qual eles hoje se penitenciam, é apenas uma exceção numa trajetória em que há muitos motivos de orgulho.

Os canadenses também gostam de se imaginar como norte-americanos, no sentido de habitantes da América do Norte, mas como a sua “faceta civilizada”, pensando-se quase como “os escandinavos da América”. Eles também apreciam quando o resto do mundo se lembra deles de modo a reafirmar sua autoimagem de “norte-americanos do bem”. Será essa imagem, contudo, realista? Afinal, o que é o Canadá e quem são os canadenses?

Este livro responde a essas questões e, ao mesmo tempo, traz ao leitor brasileiro um pouco dos valores e da vida canadense. Em suas páginas, vamos entender como se formou o Canadá, os elementos principais de sua cultura, as características da população, e também como os canadenses de hoje vivem, se relacionam, namoram, pensam o mundo e recebem os estrangeiros.

Vamos conhecer a geografia canadense, suas vastidões geladas, seu clima quase sempre frio, sua riqueza natural e suas cidades bem equipadas. E também a sua rica história, desde o contato dos europeus com os povos originais até a formação do Estado e de uma sociedade moderna cheia de particularidades, passando evidentemente pela colonização francesa e britânica e as diversas etapas de autoafirmação nacional. E, ainda mais importante, vamos observar como essa rica trajetória marca a vida das pessoas que lá nasceram e também as que escolheram o Canadá para morar.

Para tanto, os primeiros capítulos apresentam o quadro geográfico e histórico que ajuda a compreender o Canadá e suas especificidades dentro do continente americano e do mundo euro-atlântico. Em seguida, o foco recai sobre temas fundamentais – economia, política, imigração, costumes, hábitos – que moldam a vida no Canadá nos dias de hoje. A identidade canadense, ou seja, como esse povo pensa e vê a si próprio e como ele é percebido pelo restante do mundo, ganha destaque quando o livro passa a abordar a evolução da cidadania no Canadá, os símbolos nacionais e os valores caros ao povo canadense. Há ainda um capítulo sobre a relação do Canadá e dos canadenses com os Estados Unidos e os americanos, seus grandes contrapontos. E, ao final, um capítulo sobre as relações entre Brasil e Canadá e sobre a imigração brasileira, cada vez maior naquele país.

Minha opção foi trabalhar com temas e não seguir uma cronologia rígida. A grande vantagem dessa escolha é poder mergulhar nos aspectos da vida e da história dos canadenses que são mais relevantes, sem a obrigação de “escrever sobre tudo”. Esse formato permite que os capítulos conversem entre si, mas também que possam ser lidos de forma independente, em qualquer ordem, conforme o interesse de cada leitor.

Estava realmente na hora de um livro como esse ser publicado no Brasil. Com a exceção de artigos sobre temas particulares (como literatura ou estudos comparados em campos específicos da teoria econômica ou das relações internacionais), guias de viagem e alguns manuais sobre “como emigrar para o Canadá”, não se publicou até agora praticamente nada, no Brasil, sobre os canadenses, sua história e sua cultura. O único livro relevante que conheço foi uma Breve história do Canadá, escrita por Desmond Morton, traduzida para o português e publicada já há 30 anos. É muito pouco para uma nação das mais importantes no mundo, com um passado e um presente fascinantes, cujos vínculos com os brasileiros continuam a crescer.

Em 2000 e, novamente, em 2008, tive o privilégio de ser bolsista do governo canadense, do International Council for Canadian Studies, dentro do projeto de diplomacia cultural Understanding Canada. Nas duas oportunidades, fiz pesquisas documentais e bibliográficas em Toronto, Montreal e Ottawa, além de conhecer lugares emblemáticos como as Cataratas do Niágara. Esse trabalho e as publicações dali derivadas permitiram que eu me tornasse um dos poucos historiadores brasileiros com conhecimentos relevantes sobre a história canadense. Durante o tempo que passei no Canadá, tive contato com livros, filmes, revistas, folhetos e muitos outros materiais sobre a cultura, a economia e a história do país como um todo, além de vivenciar o clima e aprender muito sobre as pessoas e os hábitos canadenses, como suas paixões esportivas, seus costumes alimentares e suas formas de sociabilidade. Graças ao apoio de alguns colegas canadenses e brasileiros e da proverbial cordialidade canadense, fui introduzido no dia a dia daquele país. Franca Iacovetta me recebeu em sua casa em Toronto e Alexandre Busko Valim fez o mesmo em Ottawa. Roberto Perin também me hospedou e criou diversas oportunidades para que eu conhecesse pessoas e lugares, além da possibilidade de vivenciar o dia a dia em uma casa canadense. Agradeço a todos.


João Fábio Bertonha é professor da Universidade Estadual de Maringá (UEM) e pesquisador do CNPq. Doutor em História pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e livre-docente em História pela Universidade de São Paulo (USP). Fez estágios de pós-doutorado na Sapienza Università di Roma e na USP e foi visiting fellow no European University Institute (Florença), na Universidade de Munique e na Universidad Carlos III de Madrid. Também é especialista em assuntos estratégicos internacionais pela National Defense University (Washington, DC). Em 2000 e 2008, foi bolsista do governo canadense, do International Council for Canadian Studies, quando realizou pesquisas relacionadas à história canadense em diversas bibliotecas, arquivos e universidades em Toronto, Montreal e Ottawa.

Autor de vários livros e artigos sobre fascismos, relações internacionais, defesa e imigrações, publicou, pela Editora Contexto, Itália: presente e futuroOs italianosPatton e Os Canadenses além de ser coautor do Dicionário de datas da história do Brasil