Fechar
O ritmo garante a melodia do texto | Rubens Marchioni

O ritmo garante a melodia do texto | Rubens Marchioni

“Escrever é cortar palavras.” – Carlos Drummond de Andrade
O uso do ritmo garante a melodia do texto e impede que fique parecendo com um bloco disforme de massa crua e indigesta. É o que procuro mostrar aqui.

Frase monofásica. Só uma informação.        Ex.: Deus é grande.
Frase binária. Só duas informações.             Ex.: Deus é grande e tudo pode.
Frase ternária. Só três informações.             Ex.: Deus é grande, tudo pode e tudo perdoa.

Para que o texto fique arejado, os profissionais evitam as frases com mais de três informações. Do contrário, ele ficaria pesado, indigesto. E se todas as informações têm o mesmo peso, nenhuma informação tem peso nenhum. Junto da ideia de que escrever é falar no papel, em décadas de estudo essa me parece uma das coisas mais importantes que aprendi sobre escrever.  

Monofásica: ideal para causar impacto. O objetivo é trazer a atenção do leitor para apenas um elemento, considerado essencial. Ela evita a dispersão.

Binária: ideal para passar de um conceito a outro ou para estabelecer comparações. Ex.: Além de grande, essa casa é arejada. Ou: Minha antiga casa era pequena; mas esta é enorme.

Ternária: ideal para relacionar informações. Ex.: Minha casa é grande, arejada e bonita.

O ritmo tenso de um dia sem trégua*
Seis horas. Lá fora, um galo solitário ainda cantava as últimas estrofes da melodia daquela manhã. Ao contrário de mim, penso que ele perdeu a hora. Aqui dentro, a fala acolhedora da cama tentava me seduzir. Por pouco não me entreguei à sua voz provocante. Mas não podia.

Na escola onde sou Coordenador, teria uma reunião tensa com o pai de uma aluna, munido do desejo de proteger sua menina. Entende-se. A pré-adolescente estava sendo vítima de bullying, essa praga que tomou conta de instituições de ensino.

Eu entendia perfeitamente a situação da garota, moralmente coagida por alguns marmanjos inconsequentes. Ela sofria toda sorte de constrangimento. A cada período de intervalo, iniciava-se uma nova batalha contra um pequeno grupo assustador. A menina fugia. Procurava se esconder. Encontrava lugares onde pensava estar protegida, mas o resultado era insignificante. O mal sabe tudo sobre o uso de estratégias diabólicas. 

Na sala de aula, sua produção caía vertiginosamente. Em casa, falta de entusiasmo. Estudar significava trazer à mente as lembranças de experiências amargas. Com um olhar perdido, mirava um lugar chamado “Lugar Nenhum”, viagem sem volta. O íntimo de uma pessoa em desespero pode se tornar um terreno blindado. As visitas não são bem-vindas até que…  

A reunião foi tensa. A diretora e eu ouvimos o pai, enfurecido com razão. Ouvimos a aluna, desejosa de usar o direito de permanecer calada para não se expor além do que considerava o limite da sua dignidade. O homem exigiu uma solução. Sem sucesso, o problema iria, sem escala, da escola para a Justiça.

Ficou decidido: os pais dos culpados seriam ouvidos. Faríamos com que viessem para uma conversa definitiva. Esgotada essa possibilidade, levaríamos o caso para outras instâncias. Que situação! Não sei se para o dia seguinte o galo acertaria seu despertador. Quanto ao meu, sempre afinado e pontual, ele me acordaria no mesmo horário. E minha primeira reunião seria com a cama. Será que ela também está praticando bullying?
*História fictícia

PrimeiЯa versão
■ Para compartilhar todo o seu conhecimento e habilidades, Julio publicou um livro. Nele, condensou décadas de estudo e treino. Graças a isso, tudo pode estar em minhas mãos, por um valor muito abaixo do que o autor investiu em termos de tempo, dinheiro e trabalho em todo o processo.
Julio merece meu reconhecimento. Não fosse por ele, como e em quanto tempo eu conseguiria ter acesso a tamanho e tão valioso conteúdo? Além do que, será que eu teria como frequentar todos os cursos, fazer todas as leituras que Julio fez e acumular todas as suas vivências para que tudo isso estivesse ao meu alcance, de maneira organizada? Jamais. Gratidão, Julio. Gratidão sempre. Escreva mais, por favor.


Rubens Marchioni é palestrante, produtor de conteúdo e escritor. Autor dos livros Criatividade e redação, A conquista Escrita criativa. Da ideia ao texto[email protected]