Fechar
Café Contexto – Línguas Indígenas

Café Contexto – Línguas Indígenas

Em nosso quarto encontro do ciclo temático Grandes eixos da Linguística o Café Contexto recebeu Marcus Maia professor titular do Programa de Pós-Graduação em Linguística da Faculdade de Letras da UFRJ e um dos autores do livro Línguas indígenas e gramática universal. A mediação foi realizada pela doutora em Linguística e professora da UFF, Luciana Sanchez-Mendes e autora do livro Para conhecer semântica

O Café Contexto é um espaço para encontros e conversas com nossos autores. As lives são divulgadas e transmitidas em nossas redes sociais. Nossos encontros vão ocorrer sempre as terças-feiras, às 16h, sendo semanas alternadas entre Linguística e História. Nos acompanhe por lá para saber das próximas edições.

Se quiser saber mais sobre o assunto, conheça o livro. 😉

Café Contexto – Línguas Indígenas

O desconhecimento quase total sobre a natureza e as propriedades das línguas indígenas é, sem dúvida, um dos fatores que contribuem para a formação de opiniões equivocadas e preconceituosas. Por isso a importância desta obra que apresenta, em linguagem clara e objetiva, aspectos da gramática de cinco línguas, filiadas às quatro famílias linguísticas do Brasil: Guarani Mbya e Tupinambá (Tupi-Guarani), Karajá (Macro-Jê), Kuikuro (Carib) e Paumarí (Arawa). A partir dos principais postulados da Gramática Universal, os autores apresentam características dessas línguas, como a recursividade e a sintaxe.


Marcus Maia é doutor em Linguística pela University of Southern California. Atualmente é professor titular de Linguística do Departamento de Linguística e do Programa de Pós-Graduação em Linguística da Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). É bolsista de Produtividade em Pesquisa, nível 1C do CNPq e Cientista do Nosso Estado (Faperj) no triênio 2015-2018. Foi professor visitante no Departamento de Línguas, Literaturas e Culturas e no Language Acquisition Research Center, da University of Massachusetts, Amherst. Fundou e coordena o Laboratório de Psicolinguística Experimental, grupo de pesquisa da UFRJ e é membro fundador da Rede Nacional de Ciência para a Educação. Atua nas áreas de Psicolinguística, Teoria e Análise Linguística e Línguas Indígenas Brasileiras, desenvolvendo pesquisas e orientando projetos sobre processamento sintático e lexical, línguas indígenas brasileiras etc.

Luciana Sanchez-Mendes é graduada, mestre e doutora em Linguística pela USP, este último com cotutela com a Université Paris 8. É professora da Faculdade de Letras da Universidade Federal Fluminense (UFF), membro do corpo docente do programa de pós-graduação em Estudos da Linguagem da UFF e professora colaboradora externa do mestrado profissional em Linguística e Línguas Indígenas – PROFLLIND – (Museu Nacional/UFRJ). É pesquisadora em Linguística, especialmente em Semântica Formal, interessada, sobretudo, por línguas sub-representadas. Pela Contexto é autora do livro Para Conhecer Semântica.