Fechar
9 de julho | Dia da Independência da República Argentina

9 de julho | Dia da Independência da República Argentina

Conheça: Os Argentinos, de Ariel Palacios

Há exatos 201 anos, em 9 de julho de 1816 na cidade de São Miguel de Tucumán, a declaração de Independência da Argentina marcou o fim do domínio espanhol sobre uma de suas antigas colônias.

O rei Fernando VII, da Espanha, havia sido preso em 1808 por Napoleão Bonaparte, que colocou seu irmão, José Bonaparte, no trono espanhol. Uma Junta Suprema espanhola ainda governava em Sevilha, que não havia sido ocupada pelos franceses. Simultaneamente, a família real portuguesa fugia de Napoleão e instalava-se no Rio de Janeiro. O príncipe regente Dom João VI estava acompanhado de sua mulher, a princesa Carlota Joaquina, que era irmã mais velha de Fernando VII.

Ao chegar ao Rio, Carlota Joaquina interessou-se pela possibilidade de assumir o comando das colônias de sua família, a dinastia Bourbon. Em Buenos Aires, diversos intelectuais e homens da aristocracia local começaram a considerar que poderia ser interessante a posse de uma integrante dos Bourbon.

O grupo simpatizante da ideia da instalação da princesa no poder foi chamado de “carlotista”. Esse grupo rivalizava com os “juntistas”, que esperavam a chance de formar uma junta de governo local. Essa chance chegou no dia 18 de maio de 1810, quando um navio atracou em Buenos Aires com a notícia de que a Junta de Sevilha havia caído.

Cabildo, edifício histórico localizado na Praça de Maio da capital argentina.

Os portenhos de maior autoridade e influência reuniram-se às pressas para decidir o que fariam, já que o país que os comandava, a Espanha, não era mais independente (estava sob o domínio francês). No dia 25 de maio de 1810, data que será lembrada como o ponto culminante da Revolução de Maio, uma junta de governo foi constituída no Cabildo, o edifício das autoridades civis da cidade. Os espanhóis deixaram de governar a cidade. O vice-rei Baltasar Hidalgo de Cisneros foi destituído. E os carlotistas, com pouca influência, se deram mal e desapareceram do cenário.

No entanto, a Primeira Junta – constituída basicamente por pessoas nascidas na colônia – governava em nome do rei Fernando VII. Ou seja, não havia proclamado Independência alguma, pois esperavam que algum dia o rei recuperasse seu trono e voltasse a governar.

Nos seis anos seguintes, as autoridades nativas deslancharam uma série de batalhas contra as forças espanholas. Mas a Independência argentina – isto é, das Províncias Unidas do Rio da Prata – só foi formalmente proclamada no dia 9 de julho de 1816. Por esse motivo, as datas repetidas nos nomes de ruas e avenidas de todo o país são o 25 de maio (dia do início do processo que levaria incidentalmente à Independência) e o 9 de julho (dia da Independência em si).

Para saber mais sobre nossos “hermanos”, o livro OS ARGENTINOS é uma ótima pedida ?


Ariel Palacios fez o master de Jornalismo do jornal El País (Madri) em 1993. Desde 1995, é o correspondente em Buenos Aires do jornal O Estado de S. Paulo e, desde 1996, do canal de notícias Globo News. Foi também correspondente da rádio CBN e da rádio Eldorado. Participou de coberturas de eleições, crises políticas, tentativas de golpes de Estado, rebeliões populares e terremotos em diversos países da América do Sul. Em 2013, publicou o livro Os argentinos pela Editora Contexto. Criado em Londrina, Paraná, Ariel é formal e exclusivamente torcedor do Londrina Esporte Clube (L.E.C.).