Fechar
Mobilidade em duas rodas: a história da bicicleta

Mobilidade em duas rodas: a história da bicicleta

Mobilidade em duas rodas: a história da bicicleta em 10 momentos marcantes. Com rodas grandes, assimétricas ou revestidas com pneus, as bicicletas são um meio de transporte bastante popular há décadas.

Fotografia de ciclistas do Império Russo – Domínio Público/ Creative Commons/ Wikimedia Commons

Esse veículo de propulsão humana que hoje briga por espaço nas ruas das cidades, nasceu antes do carro. No início era apenas lazer, mas depois da devastação que as duas grandes guerras deixaram, especialmente na Europa, a bicicleta passou a ser vista como meio de transporte. E o ciclismo transformou-se também em importante esporte.

A partir do final dos anos 1960, com o crescimento do movimento da contracultura americano e a crise mundial do petróleo, ela foi reconhecida como uma possibilidade de locomoção ecológica. A seguir, sua história:

1. Anos 1810 – Draisiana
Nasce na Alemanha a draisiana, uma bicicleta sem pedais. Feita de madeira, tinha guidão, um rudimentar sistema de freios e até ajuste de altura do selim para poder ser usada por pessoas de várias estaturas.
Para fazer o brinquedo se movimentar era só apoiar os pés no chão, sair andando ou correndo e, assim que se chegasse ao equilíbrio, levantar os pés. O barão Karl von Drais (daí o nome) patenteou a ideia em 12 de janeiro de 1818.

2. Anos 1860 – Velocípede
Pierre Michaux, um carroceiro de Brunel, na França, redesenha a draisiana e cria um quadro de ferro e um sistema de propulsão por alavancas e pedais nas rodas dianteiras. Ele presenteia o filho de Napoleão III com um modelo, o que abre as portas comerciais.
Na mesma época, outro francês, Pierre Lallement, diz ter inventado antes o mesmo velocípede. Lallement se muda para os Estados Unidos e patenteia seu invento em 1866. Ao mesmo tempo, surgem as rodas com aro de aço, freios e tração traseira por corrente.

3. Anos 1870 – Roda gigante
James Starley, um inglês apaixonado por máquinas, repensa o velocípede e cria um
modelo diferente, feito de aço, com a roda cheia de raios, pneus de borracha maciça e
um sistema de freios inovador. Tinha a roda dianteira bem maior que a traseira, o que fazia dela a máquina de propulsão humana mais rápida.
Como os pedais eram fixos no eixo da roda, quanto maior o diâmetro, maior a distância percorrida e também a velocidade a cada pedalada. As rodas eram fabricadas com base na medida das pernas do proprietário.

4. Anos 1880 – Pneus
As bicicletas até aqui pecavam pela falta de conforto e pela dificuldade que as pessoas sentiam em manter-se estáveis sobre elas. As rodas diminuem, e com isso a sensibilidade aos buracos da rua e irregularidades do chão aumenta.
O escocês John Boyd Dunlop cria então uma câmara de ar para as rodas da bicicleta do seu filho em 1888. Isso e o domínio da tecnologia na transmissão por corrente tornam a condução da bicicleta suave e mais fácil, o que populariza o seu uso.

5. Anos 1890 – Segurança
É a grande evolução do design. Aqui surge o quadro trapezoidal, usado até hoje. A configuração com duas rodas de mesmo tamanho e o ciclista pedalando entre elas traz segurança e facilidade ao deslocamento.
Além disso, surgem os primeiros modelos de alumínio, três vezes mais leve que o aço. A uniformização da produção das rodas e dos tubos transforma a bicicleta em um meio de transporte simples, eficiente, seguro e barato. Assim começa sua popularização.

6. Anos 1900-1940 – Ciclismo esportivo
Enquanto os Estados Unidos estão em construção e com espaço para absorver o carro, a Europa segue devastada após duas guerras. Assim, os países europeus adotam políticas de transporte de massa e uso racional do espaço, tornando a bicicleta um meio de transporte. Nesse período surgem os primeiros modelos com freio, marcha e cubo com roda livre, o que permite continuar em movimento quando o ciclista para de pedalar. O ciclismo esportivo se torna popular.

7. Anos 1950-1960 – Mountain bike
A bicicleta começa a perder espaço para as motocicletas e vespas, e a indústria passa a fabricar modelos com formas parecidas com as das motos. O americano James Finley Scott modifica a sua para andar em trilhas e subir montanhas. Assim surge, em 1953, o primeiro esboço da mountain bike, que vira febre algumas décadas depois. Nesse período, a bicicleta se populariza entre as crianças e ganha ares de brinquedo.

8. Anos 1970-1980 – BMX
Nasce nos Estados Unidos a BMX, um modelo que vira febre mundial, o maior desejo das crianças e que torna a bicicleta uma nova possibilidade para o esporte e lazer. Nessa época também surgem os primeiros movimentos pró-bicicleta como alternativa de transporte ecologicamente correto e ideal para a saúde. A mountain bike melhora o design para ficar mais leve e resistente e vira uma febre em vários países. No Brasil é o modelo predominante.

9. Anos 1990-2000 – Tecnologia
A tecnologia vira a maior aliada das bicicletas, que passam a usar o que existe de mais moderno em nome de performance e segurança. O ciclista pode finalmente fazer o que quiser com a sua bike, inclusive tudo aquilo que sonhava quando era criança. Surgem os modelos levíssimos, feitos com fibra de carbono, mesma tecnologia usada nos carros de corrida, freio a disco, câmbio eletrônico com a transmissão feita sem cabos.

10. Anos 2010 – Mobilidade
A bicicleta como meio de transporte passa a fazer parte do repertório mundial. Por isso, os modelos dobráveis e as elétricas ou com pedaladas assistidas ganham as ruas. A geometria flat foot também é um avanço nesse sentido, pois boa parte das pessoas tem medo de usar a bicicleta por não conseguir colocar os pés no chão quando parada. A americana Electra desloca a caixa de movimento central para a frente, assim a perna do ciclista fica esticada ao pedalar e ele pode apoiar o pé no chão sem descer do selim.

Fonte: Matéria publicada no Aventuras nas História