Fechar
Ser incansável, pelos incansáveis

Ser incansável, pelos incansáveis

O esporte é a mais perfeita metáfora da vida. Vitórias e derrotas. Tombos. A meritocracia como sistema único de governo. Treinou? Levou. Quanto maior o esforço, melhores as recompensas. O esporte é assim. A vida, também.

Se o esporte já é esse espelho da vida, no judô essas metáforas ficam ainda mais claras. Um campeonato é o conjunto de várias batalhas em sequência. Como na vida, não basta contar com a competência e com o esforço próprio. Muitas vezes é o sorteio das chaves que encaminha o resultado final no judô. O destino também não apronta das suas nas trajetórias de todo mundo?

SER INCANSÁVEL, pelos INCANSÁVEIS

O livro “Incansáveis” conta as histórias cruzadas de três pessoas que dedicaram suas vidas ao esporte, em especial ao judô. Rodrigo, Cristian e Bahjet não chegaram a virar atletas profissionais, mas quase. Cada um deles usou o esporte para o crescimento profissional. Quando a idade madura chegou, decidiram levar tudo mais a sério. Resolveram fazer do judô brasileiro uma potência mundial na categoria master. Fundaram o Instituto Incansável, atraíram atletas de todo o Brasil, criaram uma ONG para ensinar crianças e, claro, disputaram campeonatos mundiais e elevaram o nível do judô veterano brasileiro. Essas lutas e aventuras estão todas no livro.

Vitórias, derrotas, tombos. Teve de tudo. No final das contas, as trajetórias dos três incansáveis mostram que a meritocracia costuma vencer. No esporte e na vida.    


Rodrigo Guimarães Motta, graduado em Administração Pública e doutorando em Administração, atualmente é consultor de empresas. Faixa vermelho e branca 6° dan, tem uma medalha de bronze em Mundial de Veteranos. Um dos três fundadores do ICI.